Depressão

Pouca gente sabe, mas no DSM-IV-T, que codifica todos os diagnósticos psiquiátricos existem doze diagnósticos relacionados à depressão ou a algum tipo de quadro depressivo.

Situações nas quais pode existir um quadro depressivo

  • 1Transtornos depressivos induzidos por:
  • álcool
  • Alucinógenos
  • Anfetaminas ou substâncias semelhantes
  • Maconha
  • Cocaína
  • Inalantes
  • Opióides
  • Sedativos, hipnóticos, ansiolíticos
  • 2Transtorno Depressivo Maior
  • 3Distimia ou Transtorno distímico
  • 4Transtorno Depressivo SOE
  • 5Transtorno Bipolar tipo I
  • 6Transtorno Bipolar tipo II
  • 7Transtorno Bipolar SOE
  • 8Transtorno ciclotímico
  • 9Transtorno Depressivo devido a alguma condição médica geral
  • 10Reação de ajustamento de tipo depressivo
  • 11Luto/sintomas depressivos em outras doenças
  • 12Subsindrômicos (sintomas depressivos, sem gravidade e/ou duração suficiente para preencher critérios para uma síndrome depressiva)


Como seria inviável descrevermos cada um destes quadros, vamos citar os critérios diagnósticos de um Episódio Depressivo Maior.

Um Episódio Depressivo Maior, na ausência de outras doenças clínicas ou psiquiátricas que apresentem quadros depressivos (por exemplo, o Transtorno Bipolar), configura o Transtorno Depressivo Maior, segundo o DSM-IV-T.

Orientações: Débora Kinoshita Kussunoki e Adriano Segal



Episódio depressivo maior

A. No mínimo cinco dos sintomas abaixo, presentes por mais de duas semanas, quase ou todos os dias. Os sintomas representam alteração do funcionamento do organismo. Um dos sintomas deve constar no item de número 1 ou 2.

  • 1Humor deprimido (tristeza, reatividade diminuída, sensação de “vazio”, apatia)
  • 2Acentuada diminuição do interesse ou prazer em todas ou quase todas as atividades
  • 3Alteração significativa do peso
  • 4Insônia ou hipersonia
  • 5Agitação ou lentificação psicomotora
  • 6Fadiga ou falta de energia
  • 7Sentimento excessivo de inutilidade ou de culpa
  • 8Diminuição da capacidade de concentração, de pensar, ou aumento de indecisão
  • 9Pensamentos de morte recorrentes, ideação suicida recorrente sem plano de suicídio, tentativa de suicídio ou plano de suicídio
  • BExcluir Episódio Misto*
  • COs sintomas causam sofrimento significativo ou prejuízo no funcionamento global do indivíduo.
  • DO quadro não é causado pelo uso de substâncias ou por alguma condição médica geral.
  • EOs sintomas não são causados por luto

*uma forma do Transtorno Bipolar

O risco de desenvolvermos um quadro depressivo ao longo da vida é de até 25%, portanto bastante alto. Apesar disso, há uma tendência a se subestimar a presença do quadro depressivo porque as pessoas podem demorar a reconhecer seus sinais. Preste atenção:

• Não reconhecimento dos sintomas
• Falta de compreensão da gravidade e de suas conseqüências
• Acesso limitado ao tratamento
• Medo do estigma de ter depressão
• Pobre adesão ao tratamento
• Preconceito contra doenças psiquiátricas


Além do grande sofrimento ligado ao quadro, as depressões são perigosas, com alta taxa de mortalidade, além de serem freqüentemente associadas a outras doenças, especialmente as crônicas.

Por outro lado, os tratamentos são eficientes, diminuem a intensidade dos sintomas e, muitas vezes, promovem o bem-estar completo do indivíduo e o controle dos sintomas no longo prazo, nos casos recorrentes. Os tratamentos incluem tratamento medicamentoso, eletroconvulsoterapia, estimulação magnética transcraniana e algumas formas de psicoterapia, que aumentam a eficácia de cada uma das estratégias anteriores.

Orientações: Débora Kinoshita Kussunoki e Adriano Segal

Voltar